Embolização de mioma

O QUE É UM MIOMA?

Com causas ainda não compreendidas, os miomas são lesões benignas que se desenvolvem a partir do musculo que reveste a parede uterina, durante a idade fértil.

Alguns fatores de risco já foram rastreados, tais como: obesidade, o histórico família e o início da puberdade precocemente.

Menstruação prolongada e com fluxo sanguíneo intenso, acompanhado de dores pélvicas, pressão na bexiga e intestino e também o inchaço na barriga, são alguns dos sintomas da existência de miomas. O que podemos considerar com muita assertividade é que em muitos casos a mulher não apresenta nenhum sintoma, durante anos ou até uma vida inteira.

A faixa etária com maior incidência de miomas está entre 30 e 50 anos

O QUE É EMBOLIZAÇÃO?

A embolização é um procedimento que impede a continuidade da irrigação sanguínea.

Sendo assim, ela impede o fornecimento de sangue que alimenta o mioma.

Através de cateteres, o útero é acessado para impedir a passagem de sangue nos vasos dentro do mioma.

Este é um procedimento que costuma durar em torno de uma hora e meia, dependendo do caso. A recuperação da paciente é bem tranquila, fazendo com que volte às suas atividades cotidianas em até dois dias.

COMO O PROCESSO FUNCIONA?

O objetivo do processo é parar o sangue que flui para os vasos que nutrem os miomas, preservando o fluxo sanguíneo para a área circundante.
radiologista intervencionista normalmente inserirá um cateter de 2-3 mm (tubo) em um vaso sanguíneo na virilha (artéria femoral comum) e vai usar orientação por imagem para guiar o cateter até cada artéria uterina (direita e esquerda). Ele irá, em seguida, injetar microesferas (partículas menores que um grão de areia) para obstruir o fluxo de sangue para os miomas.

POR QUE FAZER?

embolização de mioma uterino é executada para reduzir os sintomas causados pelos miomas, evitando métodos cirúrgicos.
A seleção das pacientes deve ser sempre realizada por um ginecologista. Então, se você estiver interessada em ver se seria adequada para esse procedimento, deverá discutir este assunto com o seu ginecologista.

QUAIS SÃO OS RISCOS?

Riscos menores incluem dor na virilha. Riscos mais significativos incluem a possibilidade de que as microesferas possam se mover para outras áreas do corpo e bloquear outros ramos arteriais.

Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipiscing elit nunc elementum vel risus eu placerat duis molestie vitae quam quis commodo fusce elementum metus sit amet dui lobortis congue aliquam egestas.
x

Faça sua pesquisa

x
logo

Seg a sex 8:00 as 18:00